segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Investigado pela PF, Maranhãozinho confirma pré-candidatura ao governo do Maranhão

Do Atual 7 - Quase dois meses após ser alvo de operação da Polícia Federal, o deputado Josimar Maranhão (PL-MA) voltou a se assanhar e a falar que é pré-candidato ao Palácio dos Leões.



A declaração foi feita no sábado 6, durante entrega de veículos para ações de fortalecimento da agricultura no município, adquiridos com recursos do governo federal, por meio da Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), com emenda destinada do próprio parlamentar.

“Foram entregues um trator agrícola, um caminhão pipa e um baú câmara fria. No evento reafirmei a minha pré-candidatura a governador”, reforçou Maranhãozinho em publicação nas redes sociais.

Localizado a 302 quilômetros da capital, o município de Zé Doca é administrado pela irmã de Josimar Maranhãozinho, a prefeita Josinha Cunha (PL), reeleita em 2020 com 72,22% dos votos válidos.

Em 9 de dezembro do ano passado, Josimar Maranhãozinho foi alvo da Operação Descalabro, que apura suposto esquema de desvio de emendas parlamentares, com direcionamento de licitações. Além de mandados de busca e apreensão em sua residência e escritório, ele teve bloqueado mais de R$ 6 milhões em seu patrimônio, entre outras medidas diversas da prisão.

Zé Doca e os municípios Centro do Guilherme e Maranhãozinho (daí o alcunha), seus principais redutos eleitorais, também foram alvos da Polícia Federal.

Mais de R$ 3,9 milhões foram apreendidos durante a operação. Quase R$ 2 milhões apenas em posse do parlamentar.

Segundo a PF, por meio de contratos fictícios com empresas de fachada, que pertenceriam a Maranhãozinho, e que estariam em nome de laranjas, mais de R$ 15 milhões podem ter sido desviados. O dinheiro público, ainda de acordo com as investigações, era sacado pelas empresas em espécie e entregue diretamente ao deputado do PL, em seu escritório regional em São Luís. Ele nega as acusações, e se diz perseguido.

Durante quatro meses de investigação, além de constatar os desvios, a PF acompanhou a realização dos saques e registrou, em áudio e vídeo, a distribuição dos recursos federais. Em uma das gravações, segundo apurou o ATUAL7, o próprio Josimar Maranhãozinho trata da repartição do dinheiro com um empresário que foi candidato a vereador em São Luís pelo PL, e que seria seu operador nesse e em outros supostos esquemas envolvendo propinagem e dinheiro público.

Aliado do governador Flávio Dino (PCdoB), com direito ao controle de pasta no primeiro escalão, a Sagrima (Secretaria de Agricultura Pecuária e Pesca), além de suceder o comunista, Josimar Maranhãozinho quer também eleger a esposa, Detinha (PL), para a Câmara Federal. Atualmente, ela é deputada estadual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário