segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

DEM abandona candidatura de Rossi, e Arthur Lira é favorito

A Comissão Executiva Nacional do Democratas decidiu neste domingo (31.jan.2021) não entrar no bloco de apoio ao deputado Baleia Rossi (MDB-SP) para presidir a Câmara dos Deputados. O PSDB, ao saber da decisão do DEM, também optou por não participar do grupo pró-Baleia. Ato contínuo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ameaçou correligionários de como último ato no cargo (seu mandato termina amanhã, 1º de fevereiro) assinar algum pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro.

Veja o Vídeo:



A decisão de DEM e de PSDB representa uma enorme derrota para o candidato do MDB, Baleia Rossi, e uma vitória para seu principal adversário, Arthur Lira (PP-AL), que ficou ainda mais favorito para comandar a Câmara.

Também sofre um grande revés Rodrigo Maia, pois patrocinou a candidatura de Baleia Rossi e agora se vê abandonado pelo próprio partido.

Segundo dados do site oficial da Câmara, o DEM tem 31 deputados. O PSDB tem número idêntico de cadeiras. Ao saírem do bloco pró-Baleia, as duas legendas reduzem as chances eleitorais do grupo que sustenta Baleia na disputa dos 7 cargos da chamada Mesa Diretora.

Deputados do DEM ouviram uma “ameaça real” de Rodrigo Maia, segundo apurou o Poder360, a respeito de algum pedido de impeachment ser assinado pelo presidente da Câmara. A Constituição dá a Maia o poder de decidir. Uma vez assinado o pedido é necessário constituir a comissão especial que analisará o processo, que fica irreversível.

Obviamente o pedido de impeachment pode ser rejeitado pelo plenário da Câmara, mas o processo é custoso e demorado. O maior beneficiado nesse caso será o Centrão, que está prestes a dominar as duas Casas do Congresso.

O Centrão é um sindicato de partidos com pouca coloração ideológica e que se especializou em viver na política com cargos e verbas. Esse grupo de legendas poderá passar meses barganhando todo tipo de vantagens e favores com Jair Bolsonaro em troca de votar a favor do Palácio do Planalto.

Isso também vai paralisar completamente o plano do governo de “limpar a pauta” do Congresso votando rapidamente projetos de interesse da equipe econômica do ministro Paulo Guedes.

Em suma, o pedido de impeachment assinado por Rodrigo Maia, se isso acontecer, é ruim para o governo e um bálsamo para o Centrão, que vai jogar como mais sabe na política. O efeito colateral será mais um período longo sem votações relevantes no Congresso.

DEM

A Comissão Executiva Nacional do Democratas chegou à conclusão de que não poderia entrar oficialmente no bloco pró-Baleia Rossi e decidiu “liberar” seus deputados para votar como desejassem.

O deputado Elmar Nascimento, do DEM da Bahia, estima que Arthur Lira terá 21 dos 31 votos dos demistas. “Isso significa que o DEM não vai entrar em nenhum bloco?”, perguntou o Poder360“Sim. E a consequência disso é o PT perder a 1ª Secretaria”, respondeu Elmar.

Há uma regra complexa para dividir os 7 cargos na Mesa Diretora da Câmara, funções cobiçadas que controlam centenas de funcionários. Para disputar uma dessas 7 vagas é necessário estar num bloco com muitos deputados para poder aspirar, pela proporcionalidade, alguma das vagas.

Sem o DEM, o bloco de Baleia Rossi fica com poucas legendas –além do MDB, o PT e o PC do B. Dessa forma, o PT pode ficar sem sua vaga na direção da Câmara. Os petistas queriam a 1ª Secretaria.

A ideia da maioria do DEM era entrar de uma vez no bloco de Arthur Lira, mas isso também não deve acontecer. “Tínhamos a maioria para blocar com o Arthur, mas cedemos a um pedido do presidente ACM Neto”, diz Elmar.

ACM Neto, ex-deputado federal e ex-prefeito de Salvador, é presidente nacional do DEM. Neto esteve ontem em Brasília em reuniões para tentar pacificar o ambiente.

Na madrugada desta 2ª feira, circulou a notícia de que Neto teria negociado o Ministério da Educação para seu partido. “É mentira. Pode escrever. Não terei cargo no governo nem o DEM vai para o governo”.

PSDB

Ao saber da decisão do DEM, o PSDB também concluiu que não poderia mais aderir ao bloco de Baleia Rossi –pois estaria apenas ajudando ao PT a conquistar eventualmente algum cargo na Mesa Diretora.

Os tucanos devem declarar na manhã desta 2ª feira (1º.fev.2021) que continuam apoiando e vão votar em Baleia, mas que não podem entrar num bloco no qual não está nem o DEM, maior patrocinador da candidatura.

Essa decisão do PSDB é também um revés para o governador de São Paulo, João Doria, que é tucano e principal nome da legenda para disputar o Palácio do Planalto em 2022. Doria fez um evento no Palácio dos Bandeirantes recentemente em apoio a Baleia.


Do Poder 360

Nenhum comentário:

Postar um comentário