segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Terminal da Praia Grande será interditado pela Defesa Civil

Defesa Civil do Maranhão vai interditar a partir desta semana, duas plataformas do Terminal de Integração da Praia Grande, no Centro de São Luís. A decisão foi tomada após uma vistoria realizada no local na sexta-feira (18.out.2019) que constatou que o terminal está com graves problemas infraestruturais, oferecendo risco aos passageiros. Do G1MA.


O Corpo de Bombeiros, Ministério Público do Maranhão (MPMA), representantes da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de São Luís (SMTT) e do consórcio de empresas de transporte público da capital, que são responsáveis pelo terminal, também participaram da vistoria.

De acordo com o órgão, um laudo da vistoria técnica será finalizado e entregue ao Ministério Público do Maranhão (MPMA) em até 24 horas, determinando a interdição de duas plataformas de ônibus. Uma outra plataforma já havia sido interditada por conta dos problemas de infraestrutura, mas alguns passageiros continuam transitando pelo local.

“Esse relatório vai ficar pronto, no máximo em 24 horas e será entregue a promotoria. E será feito de forma de determinação, de acordo com os riscos que vamos estudar ainda. Existe a possibilidade da plataforma três e quatro e esses pontos de recebimento de ônibus e pessoal, e para a parte externa do terminal, mas isso será estudado”, disse o Tenente-coronel Sandro Amorim, coordenador da Defesa Civil do Maranhão.

Foram constatadas a fragilidade da estrutura de concreto dos pilares que sustentam o teto do terminal. A vistoria foi realizada após inúmeras tentativas de firmar acordos na Justiça do Maranhão se quem seria o responsável em realizar as obras seriam a Prefeitura de São Luís ou o consórcio das empresas de ônibus.

“Para nós, aqui a responsabilidade é da prefeitura, então a prefeitura tem que ser acionada para que isso se resolva. A questão interna que é a concessão, a questão contratual que é direito administrativo, isso tem que ser resolvido com a prefeitura e o concessionário. Conosco é a sobre o usuário e consumidor que está colocando em risco sua vida todos os dias aqui nesse local”, explica Lítia Cavalcanti, promotora de defesa do consumidor.

De acordo com a Procuradoria-Geral de São Luís, os consórcios de ônibus são responsáveis pela manutenção e reformas, inclusive estruturais dos terminais de integração. Ainda segundo o órgão, a decisão liminar da Vara dos Direitos Difusos e Coletivos concedida em setembro deste ano, determinou que as empresas realizassem em até 120 dias as melhorias necessárias para sanar as irregularidades apontadas no laudo da vistoria realizado pela SMTT.

Ainda segundo a promotora Lítia Cavalcanti, laudos apontam que existem 20 pilares de sustentação do terminal que estão comprometidos. Ela afirma que caso e caso eles rompam, há possibilidade acontecer um grande acidente com vítimas já que o local recebe diariamente milhares de passageiros.

“Existem laudos que constam que 20 pilares estão comprometidos. E a gente percebe que o desgaste está eminente. Com isso, a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros vão laudar para que aconteça a interdição dessas baias onde não é mais possível a presença de pessoas aqui de forma alguma. Se um único pilar cair, um único, ele vem em bloco e quem tiver embaixo acaba vindo a óbito, a possibilidade é muito grande. Então apesar de ser uma medida que a população talvez entenda que não seja simpática, mas a gente está promovendo a proteção da vida dessas pessoas que estão aqui”, disse. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário