sexta-feira, 11 de outubro de 2019

MARANHÃO! Governo Flávio Dino não leva saúde a sério; acompanhe

Durante toda semana um dos assuntos mais debatidos foi a questão da saúde. A escassez do serviço tem chamado atenção e revela falta de interesse do Governo do Estado em resolver esse problema.


A pesar de não ser uma unidade pública, o Hospital Aldenora Bello [atende uma boa parcela da população] é referência em tratamento de pessoas com câncer no Maranhão  e tem sofrido com a  falta de recursos oriundos do governo do Estado. Prova disso, várias atividades estão sendo interrompidas  por conta do hospital não tem condições financeiras de manter os tratamentos.

Mesmo o estado tendo um Fundo de Combate ao Câncer, ainda assim o  recurso não foi liberado.
“Nada disso precisaria estar acontecendo, porque aqui no Maranhão existe o Fundo Estadual de Combate ao Câncer, que arrecada dinheiro de impostos da venda de cigarros e derivados de tabaco e de bebidas alcoólicas, e esse recurso deve ser utilizado exclusivamente em ações de tratamento do Câncer. Recurso que deveria ter sido repassado todo mês ao Hospital Aldenora Bello, para que não acontecesse essa situação. Nós temos milhões depositados em uma conta do Governo do Estado sem que esse recurso seja repassado ao hospital”, destacou Eduardo Braide autor da lei.

Quem também sofre com a falta de atendimento são os pacientes que fazem sessão de Hemodiálise. Muitos pacientes se deslocam em viagens cansativas  do interior para a capital, pois os centros de Hemodiálise nunca foram entregues a população, como é o caso dos municípios de Pinheiro e Chapadinha. As obras se arrastam desde 2014.

Em São Luís, o Governador Flávio Dino anunciou o funcionamento de um centro de hemodiálise com capacidade de atendimento de 42 pacientes, mas de fato apenas 14 funcionam. A mentira do governador comunista foi desmascarada  pelo deputado estadual  Cesar Pires, no último dia 27 de setembro. 


Em quanto o governador Flávio Dino apresenta propagandas enganosas  a fim de se  promover, a realidade do Maranhão é outra. Vários pacientes estão morrendo por falta de tratamento adequado.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário