quinta-feira, 9 de maio de 2019

Após atacar promotora, MP enquadra prefeito Dutra

Depois de entrar de fato na mira do Ministério Público, que tem  à frente a promotora Gabriela Tavernad (comarca de Paço do Lumiar), o prefeito Dutra resolveu atacar a magistrada, mas foi repreendido.



Alvo das ações do GAECO, órgão de combate a corrupção à administração pública, junto ao Ministério Público (MP),  a gestão do Casal Dutra está comprometida. Evidenciada, cheia de irregularidades na contratação de serviço terceirizado, não podia dá em outra!

Após varredura na sede da prefeitura, em secretarias e na residencia do prefeito, o comunista resolveu atacar a promotora de justiça Gabriela Brandão Costa Tavernad. Em uma nota em tom de desespero Dutra tentou se vitimizar afirmando ser alvo de perseguição da membro do MP; "a Senhora Promotora de Justiça, titular da 1ª PJPLU, Gabriela Tavernard revelando evidente animosidade à pessoa Prefeito e, sobretudo, à sua esposa, Dra. Núbia Dutra, tem tomado atitudes que lhe retiram serenidade que um cargo dessa natureza exige", emitiu em determinado trecho da nota.

Em resposta ao tom ríspido do gestor, o MP respondeu:


1. A operação que ocorreu nesta terça-feira, 7, em Paço do Lumiar, com ampla repercussão na mídia local e nacional, foi realizada pela 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar em parceria com o Grupo de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e com a Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), e teve autorização judicial assinada pela 1ª Vara de Paço do Lumiar.

2. Todas as investigações conduzidas pelos membros do Ministério Público do Maranhão ocorrem dentro do que é preconizado pela Lei, com a utilização dos recursos legais à disposição, em conformidade com Resoluções e determinações do Conselho Nacional do Ministério Público, e em estrita observância aos princípios constitucionais e republicanos.

3. Assim, as acusações feitas pelo prefeito de Paço do Lumiar, Domingos Dutra, contra a promotora de justiça Gabriela Brandão Costa Tavernard não possuem qualquer rastro de verdade.

4. O Ministério Público do Maranhão reafirma seu compromisso com a sociedade e repudia atitudes e posicionamentos que visem diminuir a atuação isenta de seus membros.

E mais! 

Depois da operação, é grande o descontentamento dos ''comissionados'', o medo dos aliados é a prisão do casal e o fim da mamata. Segundo informou uma boa fonte do blog, nos corredores das secretarias o momento é de incertezas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário