sexta-feira, 24 de março de 2017

Protocolado  pedido de perícia em suposto áudio de vereador em Paço do Lumiar

Os líderes comunitários Paulo Sampaio e Hélio Kamelo protocolaram pedido de perícia do áudio de celular que vazou revelando um suposto esquema de fraudes em licitações e nomeações para cargos por apadrinhamento na Prefeitura de Paço do Lumiar. A voz gravada seria do vereador Júlio Pinheiro (PEN), aliado do prefeito Domingos Dutra (PCdoB). O caso foi revelado pelo blog do Daniel Matos em 20 de fevereiro último (relembre) e causou forte repercussão no município, seguida de desmentido do representante da Câmara Municipal luminense.
Paulo e Hélio foram até a sede da Promotoria de Justiça da Comarca de Paço do Lumiar protocolar pedido de perícia no áudio propagado em grupos de Whatsapp com um diálogo entre dois homens, um deles Júlio Pinheiro, em que o político revela o modus operandi de um esquema armado na prefeitura com a finalidade de forjar uma licitação para contratar uma empresa hoje em nome de um tal Fabinho, que seria filho do vereador. Para viabilizar a negociata, seria necessário que o nome do tal Fabinho fosse desvinculado da referida empresa.
Na conversa, o vereador também cita os nomes de pessoas que ganhariam cargos no Município e dos seus respectivos padrinhos. No áudio, um dos interlocutores chegam a mencionar o nome da primeira-dama e secretária de Administração, Finanças, Fazenda e Articulação Governamental, Núbia Dutra, afirmando já ter tratado sobre a concorrência pública a ser fraudada.
Em meio à polêmica causada pelo teor do áudio e negativa de Júlio Pinheiro, que emitiu nota para desmentir que a voz gravada fosse sua, os líderes comunitários resolveram procurar o MP para que investigue e, com base em laudo pericial, constante ou não se é ele um dos interlocutores do diálogo vazado.
Dependendo do resultado, a crise pode respingar no prefeito Domingos Dutra e em sua esposa e super secretária Núbia.
Por Daniel Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário